"Multiplica os teus olhos para verem mais.
Multiplica os teus abraços para semeares tudo."
Cecília Meireles

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Novembro - Poema de Luiz de Miranda

A morte acende seus faróis

mas não brilha tanto

somos imortais em nossa chama

de ternura e no que ama

acima do bem e do mal

no coração de Deus


Novembro às vezes é azedo

mas tem gosto de vinho

de algo vindo do futuro

do que renasce e é puro

como as ervas do caminho


Nos chama pelo nome o voto

a eleger aos dezesseis anos

o império da democracia

se proclama a república

se canta à bandeira

e se há em demasia danos

que parecem para a vida inteira

a primavera com seus encantos

já tem gosto e canto de verão


Novembro prepara teu coração

para as longas noites de verão



Fonte: MIRANDA, Luiz de. Livro dos meses. São Paulo: FTD, 1997. (Coleção falas poéticas). p. 26-27.

Nenhum comentário: