"Multiplica os teus olhos para verem mais.
Multiplica os teus abraços para semeares tudo."
Cecília Meireles

terça-feira, 19 de março de 2013

Exposição: “OwiwiMeji: dois olhares, uma identidade” da artista nigeriana Folashade Ogunlade

Clique na imagem para ampliar


"Folashade Ogunlade nasceu em Kaduna, Nigéria. Ela descobriu a sua vocação na adolescência. Desde então, dedicou-se predominantemente à representação humana em tinta a óleo e acrílica. Folashade aperfeiçoou-se na arte trabalhando alguns anos com Sam Ovraitie e Bruce Onabrakpeya, nomes expressivos da arte nigeriana. A artista já participou de exposições e festivais na Nigéria e em outros países africanos como Yaoundé, em Camarões, e Lomé, no Togo.

A produção de Folashade no Brasil foi marcada pela sua tradição, visão e concepção filosófica de mulher e artista africana e como ela incorporou as suas próprias observações acerca da sociedade brasileira. Como ideias e culturas diferentes podem ser entrelaçadas e se tornar obras de arte? Folashade traduziu essa resposta nos traços, cores, pinceladas e texturas de cada tela, e por isso denominou seu processo de criação e a sua exposição de 'justaposição criativa'."


Fonte: Intranet da Secretaria Municipal de Educação de Belo Horizonte

segunda-feira, 11 de março de 2013

12 de Março - Dia do Bibliotecário



   
 Artigo 1

                       Thiago de Mello


Fica decretado
que agora vale a verdade.
Agora vale a vida,
e de mãos dadas
trabalharemos todos 
pela vida verdadeira.















Fonte: MELLO, Thiago de. Os estatutos do homem. Cotia, SP: Vergara & Riba, 2011. p. 7.


A Biblioteca Cecília Meireles deseja aos bibliotecários e bibliotecárias muita saúde, coragem e sabedoria para continuar trabalhando por uma Biblioteca verdadeira.


sexta-feira, 8 de março de 2013

Rosa - poema de Cecília Meireles




Vim pela escada de espinhos.
(Mais durável esse esforço
que o esplendor.)

Depois de ascensão tão longa,
qualquer vento, qualquer chuva
converte-me em queda e pó.

Quando se vê a coroa
que eu trazia, já não sou.

Entre espinhos e derrotas,
qual é meu tempo de flor?


Fonte: MEIRELES, Cecília. Poesia completa: volume 3. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1997. p. 309-310.

Uma Passagem Precolombiana - Exposição de Andréa Greco

Clique na imagem para ampliar

José Flávio Nogueira Guimarâes lança dois livros: Textos num contexto e The short-short story

Clique na imagem para ampliar


Ofício da Música no Museu de Artes e Ofícios com Telo Borges e Cláudio Venturini

Clique na imagem para ampliar